going and coming

As pessoas vem e vao. Tautológico eu sei.  Com os anos, sao tantas as pessoas que vao…     Eu precisava muito daquela conversa com o F. Tudo parecia muito claro depois de ouvi-lo falar. Um dos maiores elogios que ouvi de K. foi que F. e eu éramos um todo dividido. A gente se parece muito.  Basicamente nao é novo. Basicamente eu ja sabia, basicamente eu sempre soube. Basicamente nunca foi. Patético quase.

Terminei finalmente a Luce. A mulher escreve muito bem, e muito bonito. O que fica do livro é uma sensação de reconhecimento, de identificação e de surpresa. Seria com certeza um tópico interessante pro doutorado,  com cinema, com psicanálise.

O dia rendeu boas fotos, rendeu bom textos, rendeu. Acho interessante que mr P diga que penso muito, quando é ele que se preocupa demais. Clichés me cansam fastidiosamente, e ele é um grande cliché. Essa coisa de que nada mais o surpreende, que ele ja viu tudo isso, que canseira! Que tédio deve ser nao se surpreender com mais nada e ninguém. E que prepotência! O mundo é tao fantástico e as pessoas ainda mais, como é que isso pode ficar monótono???

Claro, claro, existe um padrão talvez.

G. andava pela casa semi nu. Tinha uma poesia nos passos que me surpreendeu muito. Me deu um beijo e saiu com o computador na mao, lendo as noticias. Voltou alguns minutos depois, eu ja com o sartre nas maos lendo prazerosamente. Ficou sem jeito, me deu outro beijo e disse que me amava mesmo eu amando outro. No caso, o Sartre. Meu homem é de uma beleza inexplicável, mas muito persuasiva.

Meu domingo acabou muito cedo.

k

=)